Antes que Suma

Conjunto de esculturas da Escola Oliveira Lima é tesouro “invisível” e esquecido

Por Jota | 15 de maio de 2017

Dezesseis estátuas fixadas no alto da Escola Estadual Oliveira Lima, na Rua Barão de São Borja, na Soledade, testemunham a pompa que marcou a arquitetura bancada pela classe abastada do Recife no início do século passado.

Mas, para a tristeza de quem aprecia a história contida em edificações, parte das esculturas está degradada e carente de restauração. Algumas, inclusive, estão quebradas.

De todo modo, a beleza do casarão de estilo neoclássico não foi apagada por completo. Inclusive, observa-se que a edificação foi pintada recentemente.

As fotos registram os traços do casarão, mas enfocam com maior “insistência” as esculturas que ficam a alguns muitos metros do chão,  o que, naturalmente, dificulta a apreciação da beleza das imagens.

De acordo com informações do blog “O lima recife”, o imóvel pertenceu a senhora Clotilde de Oliveira, dona e fundadora do Colégio Prytaneu, que funcionava no mesmo espaço.

Junto com a Escola Pinto Júnior (já enfocada na fanpage do Antes que suma), a Escola Oliveira Lima foi pioneiro no ensino pedagógico (escola normal) para as mulheres no Brasil.

Na época em que o Governo do Estado adquiriu o sobrado, em 1928, eram ministrados cursos profissionalizantes de confeitaria, tapeçaria, ornamentação, corte e costura entre outros.

Mais informações sobre o histórico da escola e do historiador e diplomata pernambucano Oliveira Lima podem ser vistas AQUI.