Antes que Suma

Os quatro “pequenos duráveis” da Avenida Lins Petit

Por Jota | 28 de junho de 2017

Quatro pequenos prédios de térreo e primeiro andar, na Avenida Lins Petit, na divisa Boa Vista com a Ilha do Leite, são representantes de uma época em que a simplicidade era o “conceito” de construções pensadas para classe média.

Erguidos um ao lado do outro, os quatro apresentam “traçados” bem semelhantes. A fachada nos remete ao desenho mais elementar de uma casa, com janelas frontais nos dois pisos e teto cujas linhas descrevem um triângulo.

Desde que foram levantados em meados do século 20 até os anos 1990, os prédios foram exclusivamente residenciais.

Por estarem situados muito próximos ao centro da cidade – e seus colégios tradicionais e faculdades particulares – eram endereço de estudantes vindos do interior de Pernambuco e de outros estados.

Atualmente, o crescimento dos negócios da saúde privada levou alguns a serem ocupados por empresas do setor. Os apartamentos que dão pra a rua principalmente são os preferidos.

Um deles – o primeiro da esquerda para a direita – abriga departamento de uma faculdade particular.

Ajustados às demandas do novos tempos, mesclando moradia e empreendimentos que comercializam serviços e produtos médicos, os quatro resistem.

Mesmo destoando enormemente da arquitetura de arranha-céus espelhados que predomina no chamado pólo médico, os prédios-caixões da Lins Petit ajudam a contar a história de um trecho que já foi uma espécie de “embaixada” do sertão no Recife.

Os pequenos duráveis, embora maltratados e agredidos, formam um conjunto que merece estar na Série Aquarius, do Antes que suma.

Leia mais sobre:

Oceania: o lindo prédio do filme Aquarius é símbolo de resistência na Zona Sul

Aquarius estreia e estimula debate sobre preservação e memória afetiva

“Prédia” permanece de pé, um ano após ter sido esvaziado

Irresistível Tupy, o mais charmoso residencial da Samuel Pinto

Prédio de “casas sobrepostas” é síntese de beleza na Quarenta e oito

Pequenos residenciais firmes e fortes no Espinheiro, Graças e Encruzilhada

Pequenos edifícios resistem e contam a história de se “morar em prédio” no Recife

Discretos, “escondidos”, mas cheios de personalidade na Rua das Pernambucanas 

Pequenos “condomínios” do século 20 resistem na Rua Benfica, na Madalena

Alvo de construtoras e espigões, Boa Vista dos “prédio pequenos” resiste