Antes que Suma

Escada helicoidal e vitrais somam belezas na Fernandes Vieira

Por Jota | 3 de novembro de 2018

Este casarão onde atualmente funciona um cartório é uma “joia” da primeira metade do século XX, mantida sem modificação alguma. Fica na Rua João Fernandes Vieira, na Boa Vista, região central do Recife.

Foi construída da para ser residência, mas no seu “currículo” estão clínica médica, empresa da área de recursos humanos entre outras “ocupações”.

Tem estilo que faz referência ao neocolonialismo, mas, acima de tudo tem o poder de deslumbrar quem põe os olhos nela.

O blog brauliomouraetc descreve: “A casa antiga e charmosa de hoje é esta construção da década de 40, que possui balcão avarandado com colunas torsas e balaustrada no parapeito. Em dois pisos, se destaca contra o jardim que há em sua frente. Há também um grande quintal”.

Mesmo o leigo não deixará de reparar as inúmeras água do teto, as sacadas – arredondadas na fachada e nos fundos – os janelões-vitrines do térreo, a riqueza de detalhes das portas e janelas.

As dimensões da construção competem com os esmero estético. É tudo muito harmonioso e agradável de ver.

Mas além do exterior, conseguimos conhecer alguns cômodos. E, assim como fora, dentro a casa é deslumbrante. Embora, esteja ajustada às atividades do cartório, não há como não se encantar.

A escada helicoidal que liga o térreo ao primeiro piso é impressionante. Em madeira, ferro e aço, é uma obra de arte. O guarda-corpo descreve arcos, alternados por finas estruturas em espiral.

Por falar em obra de arte o “fundo” da escada é tomado por três incríveis e coloridíssimos vitrais retangulares com imagens de moças em “deleite” no que parece ser um campo florido. Escada e painéis formam um conjunto irretocável.

Mas outros espaços também foram alvo de capricho. É o caso de um altar com vitral de motivo sacro no primeiro andar.

A mesma “sina” de beleza teve um dos banheiros da casa, também no primeiro piso. Com azulejo retangular verde, banheira, espelhos e emoldurados e aquecedor, o banheiro tem dimensões de um quarto de prédios residenciais modernos.

No térreo, a sala principal da casa, tem forma arredondada, piso de madeira e imensas janelas que permitem a passagem de muita luza e a apreciação do jardim e da rua.

Quando passar pela Fernandes Vieira, dê uma reparada nessa beleza. Faz bem.

Relembre posts que tratam de construções e casas desta região do Recife:

Por dentro e por fora do casarão art nouveau que entra em “nova fase” na Soledade

Preservada, casa permite que se more em 2017 como se morava em 1940

Seminário de Educação Cristã, o charmoso conjunto de prédios da Padre Inglês, faz 100 anos

Irresistível Tupy, o mais charmoso residencial da Samuel Pinto

Sede de órgão municipal que foi colégio religioso impressiona

Horizontes e identidade da Soledade roubados por arranha-céus