Antes que Suma

Sobrado que abrigou bares históricos da Boa Vista segue sob risco

Por Jota | 24 de julho de 2017

Em maio de 2016 parte do teto desse sobrado secular localizado na Rua do Progresso, na Boa Vista, desabou.  Com ele, um pedaço da história de boemia do bairro começou a ruir.

A construção abrigou, entre as décadas de 1980 e 1990, casas noturnas antológicas como Dazibao e Bela Bartok. O espaço também recebeu shows de MPB (Ângela Ro Ro, por exemplo).

Pois é. Passado mais de um ano, embora os tapumes colocados na época pela Prefeitura do Recife tenham desaparecido, o prédio continua em processo de degradação.

A “interdição” foi suspensa, mas as perdas prosseguem. Na época em o Antes que suma fez um post tratando da queda do teto, um dos herdeiros do imóvel chegou a escrever nos comentários do Facebook.

Informou que o sobrado tinhas sido deixado pelo pai, mas destacou que “infelizmente manter um casarão antigo em um bom estado custa muito caro”.

E acrescentou que se desse tudo certo, os filhos conseguiriam executar a restauração. Por fim, chegou a disponibilizar contato em busca de pessoas que pudessem fornecer orientações de como proceder.

Como se pode constatar, a recuperação ainda não começou. E, obviamente, o casarão permanece sob risco. Sem parte do teto, crescem as chances de mais degradação.

O Antes que suma já acompanhou trabalhos de recuperação de imóveis antigos e constatou o quão é dispendioso restaurar.

Por isso mesmo que o site entende que já passou da hora de o poder público implantar, juntamente com proprietários, uma política que garanta preservação e ocupação de edificações que formam a identidade e o patrimônio arquitetônico da cidade.

É lamentável observar o evidente desinteresse pela questão dentro das esferas municipal e estadual. A possibilidade de perda de um sobrado como este na Rua do Progresso é uma ameaça à memória do Recife.

O sobrado possui dois pisos. No primeiro andar, a fachada apresenta sacada corrida de madeira, unindo três janelões emoldurados com ornamentos.

O topo, é dominando por platibanda decorada. Já no térreo há duas janelas e porta (hoje coberta dom tijolos).

Além do teto em ruínas, a construção apresenta infiltrações e pintura descascada e manchada. Até mesmo uma árvore cresce no topo de uma parede do primeiro  andar.