Antes que Suma

Santos pintados sobre azulejos em “fachadas-galerias”

Por Jota | 31 de março de 2018

Azulejos e pinturas sobre azulejo, encontrados em revestimentos de casas e prédios no Grande Recife, já mereceram publicações aqui no Antes que Suma.

Mas um “segmento” bem específico desse ornamento ainda não foi alvo de postagem no site. Trata-se daqueles pintados com imagens de santos e fixados no topo de fachadas de casas e edifícios residenciais.

O costume trazido pelos colonizadores portugueses atravessou séculos e resiste em imóveis de diversos portes.

Estão em casarões sofisticados de Santo Amaro, em casinhas geminadas na Varzea e em sobrados do Derby e na Iputinga, Encruzilhada e na cidade Alta, no sítio histórico, em Olinda.

Santo Antônio, Nossa Senhora de Fátima, São José, Nossa Senhora da Conceição estão por aí abençoando moradias e perpetuando um hábito de devoção católica, nascido do desejo de proteção.

Em matéria publicada pelo Jornal do Commercio em abril de 2013, Roberto Carneiro, técnico em preservação, arqueologia e restauração da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), destacou:

“No século 17, Pernambuco e Bahia incorporaram o apreço pelos painéis figurativos. No século 18, os azulejos passaram a adornar igrejas e conventos. E, só mais tarde, por volta do século 19, o azulejo popularizou-se no Nordeste, mais especificamente em Pernambuco e Maranhão, tomando conta até das fachadas domésticas”.

Ainda segundo a matéria, “as peças, a princípio, vinham do além-mar, onde, aliás, toda casa que se preze ostenta até hoje uma imagem de Santo Antônio. Até que, nos idos de 1950, começaram a surgir as primeiras fábricas nacionais”.

Quer dizer, as pinturas sacras em azulejo movimentaram um negócio bem especializado na construção civil em algum momento em Pernambuco e no país.

O costume perdeu fôlego e ficou para trás. Mas as memórias do que um dia foi moda e expressão de religiosidade para alguns sobrevivem e se transformaram numa herança valorosa para Pernambuco.

Quando passar por alguma rua que ainda tenham casas antigas, repare nos topos das fachadas. Você pode ter boas surpresas.