Antes que Suma

“Primeiro shopping” do Brasil, Quartel do Derby reúne história e beleza arquitetônica

Por Jota | 7 de maio de 2017

O Quartel do Derby, na área central do Recife, guarda uma história que ratifica a conexão da cidade com a atividade comercial e documenta parte da sensacional trajetória do industrial e empresário cearense Delmiro Gouveia.

Antes de se tornar sede da Polícia Militar de Pernambuco, em 1924, o prédio abrigou o Mercado Coelho Cintra, tido como o primeiro shopping do país, inaugurado em 1899 por Gouveia.

“Sertanejo de espírito cosmopolita, o empresário trouxe da Exposição Universal de Chicago (EUA), realizada em 1899, o projeto de construção de um mercado onde se pudesse encontrar todo tipo de mercadoria e que funcionasse até tarde da noite, pelo menos até as 22h, o que era impensável no Brasil da época”, relata o site Guia do Estudante.

“Naquele mesmo ano abriu as portas do Mercado do Derby, um conjunto de 264 lojinhas, que pode ser considerado o primeiro shopping center do Brasil. Uma festa no Recife, o estabelecimento atraía gente de todos os lugares do Nordeste para visitá-lo”,completa o Guia.

No início de 1900 o prédio foi incendiado e reerguido nos anos 20, no governo de Sérgio Loreto (1922-1926) para se tornar o Quartel da Força Pública e, depois, sede da PMPE.

A construção perdeu as linhas neogóticas originais e ganhou ares renascentistas. O site Café com história informa:

“O Quartel é composto por uma parte central mais alta, onde se destaca do plano da fachada, ladeado por dois corpos laterais de grande extensão. A parte central possui mais de um pavimento, encimada por um terraço com guarda‐corpo em ameias e coroada por cúpula octogonal em concreto armado”.

E prossegue: “O edifício, em forma retangular, com uma torre no centro, acompanhara o sentido arquitetônico do antigo mercado, embora com feições diferentes”.

As grande mudanças haviam ocorrido na parte interna, acrescenta o texto. “Os 18 portões, as 112 janelas de venezianas, os 264 compartimentos com balcões de pedra de mármore, dispostos em forma de três paralelas, os chafarizes e torneiras dágua, profusamente distribuídos por todo o edifício, deram lugar aos grandes e espaçosos salões, apartamentos e sanitários (MONTEIRO: 1986, p. 77)”.

O site destaca ainda que a construção do quartel e a urbanização da Campina do Derby estimularam a urbanização do bairro, que passou a ser o local preferido para a construção de residência das famílias abastadas, onde também foram edificados a Escola de Medicina e Maternidade do Derby (PARAISO, Rostand).

Desde lá e até hoje o quartel é símbolo do bairro. Por estar próximo ao Rio Capibaribe e plantado dentro de enorme terreno onde há campo de futebol, pista de atletismo e hospital, a construção se mantém “distanciada” dos arranha-céus do Derby e do vizinho bairro da Madalena. O horizonte ainda é do quartel. E é possível fotografá-lo sem interferência de espigões, de diversos ângulos.

Saiba mais sobre a biografia de Gouveia AQUI (site ebiografia.com). Sobre o período do governo de Sérgio Loreto e a construção do quartel, veja AQUI  (site cafecomhistoria). Já para conhecer mais sobre o bairro do Derby, pode-se clicar AQUI  (Fundação Joaquim Nabuco).

Na segunda galeria as fotos em preto e branco são do site Recife esquecido.