Antes que Suma

Casas em situações distintas ajudam a contar passado da Madalena

Por Jota | 3 de julho de 2017

Percorrer ruas de bairros desfigurados pela especulação imobiliária é se deparar com casas agredidas, abandonadas  e transformadas, em muitos casos propositalmente, escombros.

Na Madalena, uma das áreas mais atacadas pelas construtoras, alguns imóveis padecem pela falta de cuidado, outros, felizmente, são bem mantidos – embora “escondidos” por trás de muros que guardam beleza e memória.

Há ainda aqueles que, “milagrosamente”, estão intactos, mesmo parecendo ter mais de cem anos…

Percorrer a Madalena é saber,  por meio de suas casas, que a região é guardiã desrespeita, da história da cidade, do modo como se morava nos séculos 19 e 20, de como bairros suburbanos que cultivavam uma vida rural, com casas com “cara” fazenda, foram engolidos por processos de urbanização desordenados.

Vale destacar que o bairro surgiu no século 16, originado a partir do Engenho do Mendonça. Segundo texto da Fundação Joaquim Nabuco, as terras da Madalena foram uma das melhores zona produtoras de açúcar.

As duas primeiras casas mostradas na galeria do post são vizinhas, ficam na Rua Castro Leão e têm sinas opostas. Enquanto uma está plenamente preservada e ocupada, a segunda está vazia e se deteriorando.

Uma foi erguida no estilo de “vila” e a outra tem traços de chalé e era ocupado por empreendimento da área de informática até 2016. Ambas remetem a construções do início do século passado.

A terceira, azul, está em bom estado e fica na José Osório, num grande terreno. Pela distância da rua, parece ter sido erguida quando a área era um sítio.

Curiosamente, divide parede com uma outra casa com linhas semelhantes. A impressão de que se tem é que as duas foram erguidas de modo “geminado”, na mesma época – entre o fim do século 19 e começo do século 20.

Já tratamos outras vezes sobre casas que estão sob risco na Madalena. Relembre abaixo:

“Salvando” as casas da Madalena (pelo menos em foto)

Sede da AMPPE é exemplo de preservação de arquitetura e história

Chalés: história contada em lados opostos do Capibaribe 

Conheça um pouco mais sobre a Madalena AQUI, em texto da Fundaj.