Antes que Suma

Casarão transformado em salão de festa é festa pra quem passa na Rui Barbosa

Por Jota | 3 de outubro de 2017

Por causa do tamanho do terreno em que foram erguidos nas décadas iniciais do século XX, alguns casarões do Recife eram, na realidade, “propriedades”.

À área construída, somavam muitos metros de recuo, jardins e quintais. E esta generosidade no tamanho acabou por livrar da demolição alguns imóveis de arquitetura preciosa.

Em bairros que com o tempo foram ganhando o status de “valorizados” ou “nobres” não é raro encontrar exemplares que  sobreviveram à chegada dos prédios gigantes.

Com terrenos tão extensos os arranha-céus foram construídos sem se precisasse derrubar a edificação original. Aliás, os casarões, geralmente espetaculares, são utilizados como elemento atrativo para os negócios das construtoras.

Invariavelmente são “transformados” em salão de festas para o condomínio vertical. Sejam por que estão protegidos por leis ou porque os empresas entendem que agregam valor ao seu produto, alguns casarões estão a salvo.

E, ainda que sejam invisibilizados pelo gigantismos dos edifícios, seguem de algum modo vivos e com características originais mantidas.

Este situado na Avenida Rui Barbosa é um rico sobrado com traços neocolonialistas. Tem térreo e primeiro andar, diversos níveis de teto, varanda nos dois pisos e elementos decorativos com azulejos portugueses.

Graças ao muro baixo e à grade de ferro que o protegem pode ser apreciado por quem passa pela rua. Se você ainda não reparou, procure reparar.

Fica do lado do direito da Rui Barbosa no sentido subúrbio/cidade, um pouco depois do posto de combustível que fica na esquina com a Rua Amélia, ao pé da Ponte da Torre.

Relembre publicações que tratam de casarões nas Graças:

Na Rui Barbosa: beleza preservada no casarão da Justiça Eleitoral

Não é Olinda nem Poço da Panela. A casa linda fica na Rua da Amizade

Casarão que passou por restauro para, supostamente, ser vendido, vai abrigar Casa Cor 2016

Sobrado neolocolonial intacto e lindo na Rui Barbosa

Reserva técnica e “galeria” de João Câmara, casarão tem arte por fora e por dentro