Antes que Suma

Palacete azulejado do século 19 é preciosidade da Rua Benfica

Por Jota | 11 de junho de 2019

A Rua Benfica, no bairro da Madalena, reúne alguns dos casarões mais valorosos da arquitetura do Recife. Ali estão construções seculares de estilos variados, erguidos em épocas distintas.

Entre eles chama atenção o palacete azulejado com linhas neoclássicas que sedia há décadas a Blue Angel, empreendimento do segmento de recepções e eventos.

No “corredor” entre a Praça da Bandeira, na Ilha do Retiro, e a Praça Euclides da Cunha (Praça do Internacional), na Madalena,  o casarão fica do lado esquerdo de quem segue para a ponte do Derby.

Cercado de árvores e com jardim amplo, o imóvel se destaca por ser o único azulejado e contar com entrada coberta que se estende do portão de ferro fundido à porta principal, já no terraço acessado por uma escadaria.

As janelas, no térreo e primeiro andar, são generosas. Em cima, as três centrais se comunicam por uma sacada comum, confeccionada em ferro.

O casarão, que conta também com porão e sótão, tem alguns dos aposentos utilizados para pequenas reuniões e cenário para fotos. Outros são ocupados pela administração do empreendimento.

As recepções maiores – casamentos, formaturas, festas de aniversário – são abrigadas num galpão erguido no imenso quintal.

De acordo com reportagem do Diario de Pernambuco de 2016, “o casarão neoclássico do número 251 onde funciona o buffet Blue Angel era propriedade de um senhor de engenho e ocupava o número 15 numa localidade então conhecida como “Passagem da Madalena”, onde eram realizadas travessias (do Rio Capibaribe) feitas por balsas”.

Ainda segundo o texto, “dados registrados no livro genealógico da família Gomes Leal datam a construção do imóvel ao ano 1860 por Marcelino Gonçalves da Fonte, que o vendeu a Manuel Marques Amorim”.

Em 1919, prossegue do DP, a casa foi vendida a João Cardoso Ayres, pai do pintor Lula Cardoso Ayres, que usava como ateliê a ala tipo senzala do local, conservada até hoje. A atual proprietária, Frederika Von Söhsten, alugou o imóvel  ao buffet.

Quando passar pela Benfica, repare bem! É beleza do atacado e no varejo.

 

Relembre matérias sobre a Madalena e Rua Benfica

Casarão sarraceno, o “castelo” das mil e uma noites do Recife

Chalés: história contada em lados opostos do Capibaribe

Na Madalena, uma rua de casas, jardins e árvores incríveis

Três belezas vivem sinas distintas na Bartolomeu de Gusmão

Casas em situações distintas ajudam a contar passado da Madalena

“Salvando” as casas da Madalena (pelo menos em foto)

Sede da AMPPE é exemplo de preservação de arquitetura e história

Casa modernista merece estar num catálogo da arquitetura recifense

Casa (linda) é restaurada e resiste numa região disputada por construtoras

Sobrado é restaurado para abrigar estabelecimento de ensino superior

Pequenos “condomínios” do século 20 resistem na Rua Benfica, na Madalena