Antes que Suma

Embora aparentemente abandonado, casarão mantém beleza das linhas originais

Por Jota | 25 de maio de 2017

A Praça do Derby, no bairro do mesmo nome, já foi uma das áreas mais disputadas para moradia no Recife. Projetada por Roberto Burle Marx, foi construída entre 1924 e 1926, e é cercada de história.

Situada próxima ao centro da cidade, foi alvo de cobiça de gente endinheirada no final do século XIX e início e meados do século XX.

O resultado disso é a quantidade de casarões imponentes que ainda pode ser observada no entorno da praça.
O problema é que grande parte está abandonada.

Construções que são memória dos dias de pompa do bairro estão se deteriorando – com algumas exceções, vale destacar.

Hoje a área disputada por empreendimentos do segmento de saúde, o que, curiosamente, acaba por assegurar a sobrevivência desses imóveis – com o risco de agressões aos estilos arquitetônicos. 

A despeito de uma realidade adversa, este enfocado no post está em boas condições. Embora carente de restauração, as linhas e detalhes arquitetônicos estão preservados.

Localizado na esquina da praça com a Rua Jenner de Souza, é exemplar com traços neocolonialistas. Tem um andar, varanda em arcos, cobogós, azulejos e telhado arrematado com “rabo de andorinha”.

Dá para ficar apreciando e descobrindo “adereços” e desenhos por um bom tempo. É lindo demais. Uma obra de arte da arquitetura.

Por trás das árvores da calçada, é só beleza. Desde o muro, portão jardim até colunas, sacadas e luminárias…

Aparentemente é ocupada por gente que toma conta do “patrimônio” de terceiros.

Mais sobre o bairro do Derby, AQUI (Fundação Joaquim Nabuco).