Antes que Suma

Casarão neocolonialista da Rádio Patrulha abrigou faculdade da UFPE

Por Jota | 27 de setembro de 2017

A sede do Batalhão da Rádio Patrulha, da Polícia Militar de Pernambuco, é uma obra arquitetônica das mais belas da região central do Recife, mais especificamente na Rua Dom Bosco, nº 1002 (esquina com a Capitão Lucena), na Boa Vista.

Mantido com linhas originais e “emoldurado” por árvores, o casarão pode até não chamar a atenção de quem passa apressado pela rua, mas, observado sem pressa é festa para os olhos.

Desde o muro e o “portal” de entrada pode se constatar a riqueza estética do conjunto erguido com linhas neocolonialistas.

Adornos, reentrâncias, saliências, azulejos, treliças, beirais, escadarias e sobreposições de tetos. Até mesmo uma capela integra o “acervo”, podendo ser melhor apreciada a partir da Rua Capitão Lucena.

A construção dessa beleza provavelmente se deu nas primeiras décadas do século XX, quando se verificou o auge do neocolonialismo (1889-1930).

O estilo se firmou como parte de um novo comportamento cultural que caracteriza o período republicano no Brasil.

A meta era buscar uma identidade brasileira e as raízes de uma nação que então ressurgia em uma estrutura republicana, segundo informações do site Arquienauta (VEJA AQUI) .

O imóvel foi residência e, mais tarde, nos anos 1940 e 1950 abrigou a Faculdade de Química da Universidade Federal de Pernambuco.

Desde 05 de setembro de 1972 está ocupado pelo Batalhão da Rádio Patrulha.

Quer dizer, além da evidente beleza do conjunto, o casarão foi palco de históricas relevantes para a cidade.

Saiba mais sobre a Rádio Patrulha da PMPE (AQUI)  e sobre prédios que abrigaram faculdades da UFPE antes da existência do campus da Várzea (AQUI).