Antes que Suma

Prédio do Hotel do Parque permanece em muito bom estado

Por Jota | 27 de novembro de 2016

Um dos atrativos que mais faz falta à decadente Rua do Hospício, no coração da Boa Vista, é o Teatro do Parque.

A restauração do equipamento se arrasta, perpassa gestões municipais, deixando o centro da cidade órfão de um precioso espaço para a difusão de cultura.

Curiosamente, o hotel construído dentro do conjunto de lazer/turismo no início do século XX, permanece, aparentemente, em bom estado. Pelo menos externamente, está intacto. E, embora “invisível”, merece ser apreciado.

Situado a poucos metros do teatro, o denominado Hotel do Parque fazia parte de um ousado plano do comendador Bento Luís de Aguiar que era criar, no centro da cidade, um Parque de Diversões à moda portuguesa, segundo informações do Diario de Pernambuco.

O hotel surgiu antes. A casa de espetáculos teatrais, um dos únicos “teatro-jardim” remanescentes do país, era o segundo empreendimento do projeto.

O teatro tem 101 anos. Já a data de construção do hotel não foi possível checar. Textos que tratam do hotel, do bairro da Boa Vista e do teatro não fazem referência ao ano.

De todo modo, sabe-se que o empreendimento teve importância para o turismo na cidade. Tanto que recebeu visitantes de passagem por Pernambuco.

Vejam a notícia publicada no blog de Fernando Machado em julho deste ano: “Há 95 anos, chegava ao Recife, pelo Itapuhy, a pianista italiana Maria Carreras e ficou hospedada no Hotel do Parque“.

A construção tem três pavimentos. Tem linhas ecléticas e neoclássicas. Detalhes decorativos também chamam atenção. Há azulejos, desenhos, entalhes e rendilhas em alto relevo

A escada da entrada principal era acessada por um corredor que existe ao lado do térreo.

No primeiro andar, uma única sacada ocupa toda a largura da fachada com seis portas. No último, são três sacadas,  uma para cada dupla de portas.

Assim como no passado, o piso que dá para a rua é ocupado por lojas. Hoje uma unidade de rede que vende eletrodomésticos e móveis está instalada no local.

A construção demonstra estar em bom estado. Não se observam alterações ou agressões ao desenho original. Aparentemente, apenas o térreo vem sendo utilizado.

Link da Fundaj sobre o teatro AQUI. Sobre os 100 anos do teatro,  AQUI (Diario de PE).